20 de jul, 2024
(79)3249-2896 (79)99999-2167

PROPOSTA CONCEITUAL

Bem disse Jesus que:

“Não há nada escondido que não venha a ser revelado, e não existe nada oculto que não venha a ser conhecido” (Mt, 10:26; Lc, 12:2),

Quando Sócrates (um dos precursores da mensagem de Jesus) nos recomendou o conhecimento de nós mesmos, talvez não imaginasse o alcance atual da proposta. Jesus deixou claro quem somos nós e o que viemos; bem como o caminho mais fácil para atingir nosso objetivo maior: a plenitude do amor; após cumprirmos todas as etapas evolutivas, passo a passo.

A Doutrina dos Espíritos tão bem formatada por Kardec e depois complementada por vários Espíritos como Emmanuel e André Luiz, através da mediunidade de Francisco Cândido Xavier, nos trouxe notícias a respeito de onde nos localizaremos e como viveremos no Plano Espiritual, reino prometido pelo Mestre. O Espiritismo veio agregar novas; mas já pálidas e algumas até defasadas atribuições ao postulado de Sócrates.

Somos seres em constante evolução! Nesta jornada conheça e se aproprie de conhecimentos trazidos pela Doutrina Espírita do “Mundo Espiritual” elucida-nos o entendimento acerca da vida atual/pregressa/futura, nos facultando um lugar de protagonismo em nosso processo de progresso/sofrimento. Usando o dom do livre arbitrio nós definimos como individualidade vida após vida – somos hoje o que fizemos ontem; nós somos nossa própria continuidade.

O mundo ou Plano espiritual, “[…] é o mundo normal, primitivo, eterno, preexistente e sobrevivente a tudo”... Plano espiritual é o “[…] dos Espíritos, ou das inteligências incorpóreas”, enquanto o mundo visível ou corporal é habitado pelos seres materiais, que possui um corpo físico. (Documento FEV – EADE O Mundo Espiritual.)

A Doutrina também nos esclarece que os dois mundos, o espiritual e o físico são, de certa forma, independentes, “[…] não obstante, a transparência entre ambos é incessante, porque reagem incessantemente um sobre o outro.

Sendo assim, os Espíritos estão por toda parte! Povoam infinitamente os espaços infinitos. Há os que estão sem cessar ao nosso lado, observando-vos e participando sobre vós, sem que o saibais, já que os Espíritos são uma das forças da Natureza e os instrumentos de que Deus se serve para a execução de seus desígnios providenciais.

Após uma vivência do espírito em uma experiência corpórea, com a desencarnação, o Espírito reinicia uma fase de reintegração no Plano espiritual, seu lugar de origem e sua adaptação neste é assinalada por importante processo educativo.

O estado de erraticidade cessa quando o Espírito atinge o grau de perfeição moral, tornando-se Espírito puro. Nesta situação, ele não é mais considerado errante, pois não precisa reencarnar, a não ser que queira, visto que chegou à perfeição.

Segundo Emmanuel, “[…] se a criatura humana é incapaz de perceber o plano da vida imaterial, é que o seu sensorial é habilitado apenas a certas percepções, sem que ele seja possível, por enquanto, ultrapassando a janela estreita dos cinco sentidos.

“Nascer, viver, morrer, renascer ainda e progredir sempre, tal é a Lei.” Kardec

Se a vida espiritual é eterna, se nossa alma não morre junto ao corpo, ela é direcionada ao plano espiritual, onde aguarda uma nova oportunidade de voltar à vida física como o espiritual atua, interage com o mundo corpóreo? Ou não há interação?

Como duas linhas paralelas que coexistem, quais suas intercessões? Quando uma começa, outra se encontra ou reinicia? Como elas interagem e atuam juntas rumo ao progresso dos seres e do planeta?

A obra de André Luiz, designada a vida no mundo espiritual, é um grande bálsamo para estudarmos e refletirmos sobre como se dá a vida depois da morte do corpo físico, os livros nos auxiliam na compreensão de onde vamos quando morrermos, quem encontraremos e o que faremos neste novo mundo, como retornaremos. Indagações que o ser humano sempre se fizeram e muito poucas respostas sensatas e consistentes conseguiram encontrar.

Mas será que o “Mundo Espiritual” só existe “do lado de lá”? Se somos seres espirituais não estamos em contato com este também não nos faz parte, constantemente? Intuídos por vezes, inspirados por tantos outros, a espiritualidade não é capaz de influenciar nossa jornada corpórea?

Se sim, podemos propor uma reflexão, o desejo do entendimento afim de compreender o ciclo da experiência do ser eterno, partindo do Mundo Espiritual, como um processo constante, diverso e atuante em sua existência – sem rupturas ou silenciamentos?

A morte sempre foi um dos maiores medos dos seres humanos, todos sabemos que um dia vamos morrer, mas ninguém gosta de conversar sobre esse tema tão indigesto. O Espiritismo trouxe informações importantes referentes a este momento tão relevante e difícil para o indivíduo, mostrou-nos que a morte não existe, o que morre é o corpo físico, a matéria, o espírito se liberta. Que somos frutos de inúmeras encarnações, vivemos muitas vidas em corpos diferentes e por períodos diferentes!

Na Doutrina Espírita encontramos vários exemplos de reencarnações, como a reencarnação de Segismundo, descrita no livro Missionários da Luz, uma das obras ditadas pelo espírito André Luiz na coleção A vida no mundo espiritual.

Uma viagem ao mundo espiritual , tema proposto pelo 9° Congresso Espírita de Sergipe – em SET/2024, é um convite ao entendimento de processos do espírito em sua jornada evolutiva tendo o Mundo Espiritual como paisagem a ser visto da janela. Tratar esse assunto tendo como protagonista o ser eterno, que vive o ciclo de sua experiência reencarnatória na preparação, companhia, espiritual é um olhar provocativo e diferenciado que objetivamente regrar novos entendimentos e expansão de consciência.

Promover reflexões, fornecer referências doutrinárias para o olhar de um Mundo Espiritual pleno e constante, e não um espaço etéreo, momento vívido apenas quando desencarnado, é ferramenta significativa para educar e instruir almas encarnadas que buscam respostas para o COMO VIM?, ONDE ESTOU? , QUEM SOU?, PARA ONDE VOU?, COMO VOU? Capaz de promover entendimento libertador para as causas das aflições e comprometimentos reencarnatórios. É roteiro para uma vida mais plena e consciente.

Inspirações doutrinárias: O MUNDO ESPIRITUAL - IDÉIAS BÁSICAS

• Existem dois mundos diferentes, o corporal composto de Espíritos encarnados e o Espiritual formado pelos Espíritos desencarnados.

• Enquanto os homens, devido à materialidade do corpo, estão na Terra, o mundo espiritual ostenta se por toda parte, em nosso redor ou no espaço.

• Ensina-nos a Doutrina Espírita que no mundo espiritual a vida se desdobra em infinitas expressões, mais ricas e abundantes que a própria Terra. Assim encontramos todas as escolas, lares, hospitais, escritórios, templos, praças de esporte, artes, intensa vida social, magníficas expressões da natureza, aves, animais, tudo em manifestações mais ricas e completas, das quais, as edificações terrestres são pálitos reflexos .

• No intervalo das existências corpóreas, o Espírito retorna ao mundo espiritual, onde se apartara momentaneamente e onde se sente feliz ou infeliz, segundo o bem ou o mal que há praticado.

• Sendo a vida física passageira, é no estado espiritual sobretudo, que o Espírito colhe os frutos do progresso realizado na sua reencarnação e também nele que se prepara para novas lutas e aprendizado.

• Assim o mundo espiritual é normal e principal, pois existe e sobrevive ao mundo físico e sobre este reage incessantemente.

• No mundo espiritual os Espíritos das diferentes ordens evolutivas se aproximam, segundo a camada de tendências formando grupos ou famílias: os bons irmanam se pelo desejo de praticarem o bem e os maus pelo de fazerem o mal ou sob o reflexo de suas próprias faltas.

• Enquanto os Espíritos inferiores, no mundo espiritual, encontram-se envolvidos em seus propósitos menos edificantes, os espíritos superiores se desdobram no auxílio aos cuidados de amparo e na ajuda aos homens encarnados, pois eles são instrumentos de que Deus se vale para ajudar a todos uma Humanidade.

Inspiração artística – canção

Canção: Real Dimensão - Cesár Tucci

Cai a noite sobre este lado do planeta,

Nossos corpos adormecem filhos do planeta

Além de nossa visão são almas despertas

Ganham asas na amplidão as almas libertas

Que procure pelo espaço os seres afetivos

Que visitem os lugares prediletos

Sensações desdobradas, sentimentos vivos

Emoções renovadas, sonhos redivivos

Luz e harmonia é o que se tem

Entre as almas que trabalham nas lidas do bem

Contrastando com as torturadas construções

Entre aqueles arraigados

Presas às vis paixões

Quanto tempo há antes que você possa entender

Que viver é bem mais do que simples vestir e comer

Quantas vezes a dor terá que nos servir de lição

Pra vivermos a vida em sua dimensão real?

Há que acender a luz, luz do amor e luz da razão

Espalhar as luzes, devassar a imensidão

Descobrir novas luzes

Iluminar o futuro afastando as sombras

Que nos distanciamos da Lei Natural

Conceituando a arte e discurso do evento

Compreendendo que somos seres espirituais, a viagem ao mundo espiritual começa em nós! Por nós e conosco esse mundo se manifesta a todo instante. Não sendo um lugar, não sendo um tempo, ele é verdade simples e puro em constante movimento.

Sendo o ser o grande protagonista dessa narrativa, inspirada em Segismundo – de André Luiz, a arte traz a presença humana forte, pela simbologia da mão. A mão que pede parada para viagem, que sinaliza o desejo de viajar.

A mão na tradição bíblica e cristã, a mão é símbolo de poder e supremacia. Ser acolhido pela mão de Deus significa receber a manifestação do Seu espírito. Quando a mão de Deus toca o homem, este recebe a Força divina. Números de dedos em cada uma desta, número 5 (cinco) que simboliza o centro e a harmonia. Isso porque ele ocupa a posição do meio dos primeiros números (de 1 a 9). É o número de pontas de uma estrela que indica o caminho, que expressa os 5 elementos da vida: Água, Terra, Fogo, Ar e Éter, as cinco dimensões do ser: física, sensorial, emocional, mental e espiritual. Os cinco sentidos humanos.

Sobre a proposta do evento, 5 eixos de interação do ser eterno com o mundo espiritual. Um roteiro, uma jornada que infinitamente se repete até que o alcance errante de sua evolução moral e não sinta mais a necessidade de reencarnar, tornando-se puro. Sendo eles:

EIXO 1: Planejamento reencarnatório

• O ser e o emocional antes de reencarnar

EIXO 2: O reencarnar

• O nascer e a família, o contexto inserido

• As necessidades da escola na vida corporal

EIXO 3: Interação entre planos espirituais e materiais

• Mediunidade, inspirações e intuições

EIXO 4: O progresso

• Lei de causa e efeito

• Missões e propósitos

• O despertar do ser integral

EIXO 5: O desencarne

• Preparando-se para morrer

• Processo de desencarne e amparo espiritual

• A vida no mundo espiritual: Lar, escola, hospital, templo, oficina

• Preparando para novas jornadas

Como um movimento cíclico, porém espiralado, a simbologia de um relógio conota a passagem do tempo e o recomeço expresso também pelas linhas da mão, que pela Quirologia são mais que dobras na palma causadas pelo ato de abrir e fechar, são ações do sistema nervoso e têm relação com os processos fisiológicos e bioquímicos do organismo.

Dividida em 3 linhas: coração, vida e cabeça são representadas pela tríade da Doutrina Espírita: ciência, filosofia e religião, promovendo a reflexão sobre a importante destas três alicerces no entendimento do Mundo Espiritual.

Cada eixo de estudo proposto é expresso em imagem conceitual que tem por desejo facultar reflexão e abstração do pensar por novas releituras e olhares sobre o tema central, promovidos por uma conceituação gráfica inspirada no estilo Realismo Fantástico, que tem como característica a proposta em que elementos da realidade, da fantasia e do sonho se misturam, gerando um todo harmônico, resultando em um material visual investigativo, desrruptível, tornando o coletor parte do processo de descoberta.

As falas do visual remetem à dualidade da vida, das fases que iniciam (plano espiritual - azul), cessam ou recomeçam (plano material - vermelho) mas que, quando juntas, são permeadas por esse mundo espiritual expresso pela cor violeta.

Efeitos sobrepostos, camadas de profundidade, sobreposições trazem a identidade a representação da simultaneidade desse mundo espiritual perante a vida, memórias, projeções, passado, presente e futuro.

A comunicação visual ainda traz leve referência à obra O Homem Vitruviano ou Homem de Vitrúvio, desenho de Leonardo da Vinci (1452-1519) que foi produzido em 1490, durante o Renascimento.

Sua referência história mundial representa o ideal clássico de beleza, equilíbrio, harmonia das formas e perfeição das proporções refletindo com maestria as proporções humanas.

O desenho de Da Vinci está intimamente relacionado com a filosofia humanista e o conceito de Antropocentrismo, um conceito e uma filosofia que ressalta a importância do homem como um ser dotado de inteligência e, portanto, livre para realizar suas ações no mundo.

O ser humano, para o antropocentrismo, é racional, crítico, questionador da sua própria realidade e responsável, portanto pelos seus pensamentos e ações. Busca a verdade por meio de análises e do método racional e científico, através de provas e explicações.

Embora a figura divina fosse questionada, Deus não foi deixado de lado no

Antropocentrismo. O “sagrado” ainda fazia parte da vida das pessoas, no entanto, passou a não ser a única fonte da verdade. A própria Bíblia foi bastante estudada neste momento através de novas traduções e crítica histórica.

A verdade, entretanto, deveria ser buscada através da racionalidade humana (razão), pois esta seria uma dádiva divina .

Tais características fazem uma alusão à Doutrina Espírita, pelo campo da razão em busca do entendimento da verdade e no desenvolvimento da fé raciocinada. Uma referência que fala que todo o Mundo Espiritual é harmônico e que como ele devemos construir pelo entendimento a nossa harmonia interior, conectando-se intimamente e continuamente com a espiritualidade, pois ela coexiste a nós, e atua por nós e por nós a todo momento .

OBRAS REFERENCIAIS PARA PESQUISA:

Bases Evangélicas:

• Marcos: 9:9 e 10 9:31 13:27 16:19. Lucas: 3:21 a 22 9:26 - 9:28 a 32 16:4 16:22 a 26 20:34 a 36 23:42 e 43 24:51 e 52. João: 6:62 7:34 a 36 .

Bases Doutrinárias:

• O Livro dos Espíritos: 84 a 87, 149 a 165, 223 a 233, 237 a 257, 274 a 329, 965 a 982, 1011 a 1016.

• O Livro dos Médiuns: Cap.1 da 1ª parte e Cap.1 da 2ª parte.

• O Evangelho Segundo o Espiritismo: Cap.3 (todo).

• O Céu e o Inferno: Cap.2, item 10 Cap.3, itens 5, 6, 10 e 15 Cap.7, itens 1 a 33 - Cap.8, itens 12 a 15.

• A Gênese: Cap.1, item 12.

• O que é Espiritismo: Cap.2, itens 7 a 21 Cap.3, itens 144 a 162. 3. Obras Subsidiárias:

• Amor Sem Adeus: Cap.7.

• Antologia da Espiritualidade: Caps.9 e 10.

• Bezerra, Chico e Você: Cap.45.

• Caras de uma Morta: “Reencontrando Uma Afeição do Passado” e “No Plano dos Desencarnados” Conversa Firme: Cap.3.

• Enxugando Lágrimas: Caps.1, 2, 5, 7, 13 e 14.

• Estante da Vida: Caps.1 e 6.

• Pontos e Contos: Cap.18.

• Relicário de Luz: “Doce Bilhete”.

• Nosso Lar. Mensageiros. Missionários da Luz. Obreiros da Vida Eterna. No Mundo Maior. Entre a Terra e o Céu. Libertação.

• Palavras de Vida Eterna: Prefácio.

• Orientação sobre o desencarne. Maury Rodrigues da Cruz. Curitiba: SBEE, 12 p., 2018. ISBN: 978-85-86180-53-8

• Espiritismo – Escritos Psicofonados. 2 Reencarnação. I. Título. II Grimm, Antônio (espírito).

• Voltei: Bonés. 2 e 3

• Memórias de um Suicida - Ivone do Amaral

• A reencarnação de Segismundo – André Luiz por Chico Xavier

 

Criação: Carol Medeiros

 

Informações